• Este trabalho apresenta uma investigação sobre como as ONGs de Defesa do Consumidor atuam no segmento da alimentação, e as estratégias empreendidas em benefício da maior transparência das marcas dessa indústria no relacionamento com a sociedade brasileira. Três estudos de caso de instituições da sociedade civil organizada são apresentados, todos com características particulares, mas complementares entre si, na condução de suas ações de ativismo e advocacy.
  • Esta cartilha tem como objetivo facilitar o seu trabalho como jornalista, para que você entenda melhor o Sistema de Justiça e conheça quem é e o que faz o Defensor Público. Com ela, queremos levar ao profissional que tem como nobre função levar informação à sociedade o verdadeiro sentido da Defensoria Pública, instituição essencial para a construção de uma sociedade livre, justa e democrática.
  • Numa coisa todos concordamos, direitos de propriedade bem definidos, sejam eles individuais ou coletivos, são fundamentais para acabar com a insegurança jurídica, reduzir a violência no campo, viabilizar o acesso ao crédito, promover o uso eficiente da terra e para garantir a responsabilização ambiental. A prioridade para políticas públicas de regularização fundiária deve ser conciliar desenvolvimento rural sustentável com conservação da biodiversidade, regulação do clima e manutenção dos serviços ambientais prestados pelas áreas protegidas, terras indígenas, territórios tradicionalmente ocupados, e remanescentes de florestas em áreas privadas e públicas ainda não destinadas.
  • Matéria jornalística acerca da vulnerabilidade da população negra escancarada pela causada pela Covid-19.
  • A Rede de Advocacy Colaborativo (RAC) é uma iniciativa de organizações de diferentes áreas e expertises , cujo propósito principal é conectar interesses difusos e coletivos da sociedade civil com o parlamento brasileiro. A RAC não concorre nem substitui a prática de advocacy das organizações que a integram, mas procura fortalecer e articular a capacidade de incidência de seus membros sobre causas consideradas relevantes por este coletivo, relacionadas a 4 eixos temáticos: direitos humanos, transparência e integridade, desenvolvimento socioambiental e nova economia.
  • Neste guia você vai encontrar um panorama sobre o estágio atual das discussões sobre advocacy no Brasil e no mundo – e também poderá entender como a sua organização pode atuar na esfera da defesa de interesses.
  • Partindo-se da premissa de que a política externa é uma política pública e, como tal, tem uma dimensão doméstica significativa, o artigo propõe o emprego do “The Advocacy Coalition Framework” (ACF) – quadro conceitual elaborado por Paul Sabatier e Hank Jenkins-Smith para abordar compreensivamente mudanças em políticas públicas ao longo do tempo, com ênfase no papel das coalizões de advocacy como agente político e no processo de aprendizagem voltada para a política como seu precursor – na análise da atuação conjunta de atores estatais não tradicionais e não estatais, na tentativa de influenciar na formulação da política externa brasileira em direitos humanos, conduzida prioritariamente pelo Ministério de Relações Exteriores. Recorre-se ao ACF, que faz parte de vertente analítica em política pública que destaca o papel das ideias e do conhecimento como condicionantes da ação política, por acreditar-se que abordagens de análise política centradas na racionalização do interesse não se adequem à especificidade dos atores em questão, cuja ação estratégica pressupõe-se motivada, sobretudo, pela possibilidade de traduzir componentes de seus sistemas de crença em políticas públicas e tem como principal recurso persuasivo a produção e disseminação de informação dentro de um domínio político.
  • Este artigo tem o objetivo de contextualizar e debater as oportunidades de advocacy em rede no âmbito do investimento social privado no Brasil. Nos últimos anos, práticas de advocacy passaram a ser abordadas de forma mais recorrente pelos principais estudos sobre esse campo e foram incluídas no debate público na busca pela potencialização das ações dos investidores sociais. Temas como o dilema entre financiamento ou operação do advocacy, os processos de monitoramento e avaliação do advocacy, o advocacy no ciclo de políticas públicas e o advocacy em rede tem ganhado relevância. Para o último, foi realizada uma revisão de literatura sobre o tema, uma análise histórica de sua evolução nas edições do Censo GIFE e identificadas iniciativas coletivas de advocacy no âmbito da sociedade civil. Atividades como as do Observatório do Clima, da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura e da Rede de Advocacy Colaborativo evidenciam diversos benefícios: compartilhamento e otimização de recursos, construção de sinergia entre agendas de incidência política, aprendizagem coletiva baseada no levantamento de controvérsias e construção de consenso, potencialização da geração de conhecimento e uso das tecnologias para compartilhamento de informações e execução de estratégias coletivas de advocacy.
  • A pesquisa dá um panorama das principais necessidades das ONGs e revela detalhes de sua atuação jurídica – prática crucial para a efetividade de uma estratégia de advocacy.
  • The volume outlines a new agenda for the study of advocacy organizations, which are often known as non-governmental organizations (NGOs) and social movement organizations.   O trabalho descreve uma nova agenda para o estudo de organizações de defesa, que muitas vezes são conhecidas como organizações não governamentais (ONGs) e organizações de movimentos sociais.  
  • UNICEF has an exceptional history of advocating to protect and promote children’s and women’s rights. The Advocacy Toolkit stems from this, systematizing and coordinating both internal and external advocacy expertise, as well developing a few innovative approaches. The Toolkit provides a set of practical tools to help UNICEF staff and partners in the development and management of their advocacy work.   A UNICEF tem um histórico excepcional de defesa dos direitos das crianças e das mulheres. O Advocacy Toolkit se origina disso, sistematizando e coordenando a experiência de advocacy interna e externa, além de desenvolver algumas abordagens inovadoras. O Kit fornece um conjunto de ferramentas práticas para ajudar os funcionários e parceiros da UNICEF no desenvolvimento e gestão do seu trabalho de advocacy.
  • Agenda de Segurança Pública e Direitos Humanos que pretende ser um ponto de partida para uma mudança completa na arquitetura de segurança pública do Brasil. Ela engloba o resgate de proposições em tramitação e outras propostas que remetem a um novo paradigma de segurança pública.
  • Matéria jornalística sobre a Nota técnica que reforça inconstitucionalidade da educação domiciliar e aponta seus riscos para a proteção de crianças e adolescentes.
  • Infográfico elaborado para que sejam identificadas questões relacionadas à segurança pública no Brasil, especificamente no ano de 2020.
  • Apresentação da RAC com dados e informações sobre advocacy colaborativo no Brasil.
  • O ELAS+ convida você a conhecer como grupos e organizações de mulheres e de LBTI (lésbicas, bissexuais, trans e intersexo) brasileiras foram impactadas e como vêm reagindo à pandemia da Covid-19.
  • A advocacia em promoção da saúde representa um importante instrumento de participação social voltado à defesa do direito universal à saúde no Brasil. O objetivo do trabalho foi descrever os conceitos e fundamentos, bem como propor estratégias nessa área. A partir de revisão de literatura exploratória, desenvolveu-se um método de operacionalização das ações da advocacia em promoção da saúde. O argumento central, sintetizado em uma fi gura, propõe e descreve a pluralidade das estratégias para a concretização da advocacia em promoção da saúde. O debate sobre os atores envolvidos procura apontar desdobramentos para as competências técnicas, necessárias sobretudo para profi ssionais. Acredita-se que o embasamento das práticas de advocacia em promoção da saúde possa fomentar o desenvolvimento/fortalecimento desse campo de atuação democrática, e dessa forma contribuir para o enfrentamento das iniquidades em saúde no Brasil.
  • Diante das concretas ameaças de retrocesso nos pilares democráticos e na garantia dos direitos humanos em nosso país, as organizações da sociedade civil e os movimentos sociais abaixo assinados entendem que o momento político requer a imediata formação de uma Frente Parlamentar Mista em Defesa da Democracia e dos Direitos Humanos.
  • Esta cartilha apresenta orientações sobre organização comunitária.

Title

Go to Top