• Um projeto da Tactical Tech, que inclui 35 entrevistas com defensores dos direitos humanos de todo o mundo e apresenta 10 táticas para transformar informações em ações. Este filme está sendo lançado online e estará totalmente disponível em março de 2010. Se você é um defensor dos direitos, pode solicitar uma cópia gratuita em papel.
  • Sua mente deve estar livre para criar, e não preocupada em reter informações. Foi com esse argumento que David Allen criou o método GTD – Getting Things Done: um sistema de gestão que tem ajudado inúmeras pessoas e empresas a colocar ordem no caos. Considerado a principal autoridade no campo da produtividade, Allen trabalhou com os melhores e mais brilhantes talentos do mundo defendendo a teoria de manter "a mente clara como água" e abordando o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Depois de 30 anos de pesquisa e prática, lançou A arte de fazer acontecer, um best-seller internacional publicado em 28 idiomas que se tornou uma verdadeira referência em organização pessoal. Nesta nova edição, revisada e atualizada, David Allen insere as novas tecnologias na gestão do fluxo de trabalho e inclui as descobertas mais recentes da ciência cognitiva. Por meio de cinco passos e inúmeros exemplos, você vai aprender a:
    • Aplicar a Regra dos Dois Minutos (faça, delegue, adie ou jogue fora) para esvaziar sua caixa de entrada
    • Reavaliar as metas e manter o foco
    • Planejar projetos de longo prazo e revisá-los semanalmente
    • Controlar a ansiedade e a sobrecarga de trabalho
    • Aceitar que você não pode fazer tudo ao mesmo tempo e que algumas coisas podem ficar para depois
    Com técnicas revolucionárias, este livro oferece uma nova maneira de trabalhar: com mais foco, mais produtividade e menos estresse.
  • Um dos maiores símbolos da luta por igualdade, justiça e paz da humanidade, Martin Luther King liderou uma revolução que mudou os Estados Unidos e influenciou o mundo inteiro. Por sua política de resistência e transformação social através da não violência, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1964. Com base em arquivo inédito de textos autobiográficos do próprio King, incluindo cartas e diários não publicados, assim como filmes e gravações, Clayborne Carson - historiador da Universidade Stanford e diretor do Martin Luther King Jr. Research and Education Institute - cria um inesquecível retrato em primeira pessoa do grande líder. "Valioso e inestimável. King era eloquente e refinado de forma consistente, um mestre da palavra e do efeito, dono de uma voz inconfundível e verdadeira." The New York Times Book Review "Um feito excepcional. Ilumina os fundamentos intelectuais da coragem de King." The New Yorker "Temos uma dívida com Carson por nos entregar King por inteiro." The Times
  • Os fins estão nos meios como a árvore na semente”, costumava dizer Mahatma Gandhi, cujos ensinamentos guiaram a trajetória de figuras notáveis do nosso tempo como Martin Luther King Jr, Nelson Mandela e Dalai Lama, que se tornaram seguidores e propagadores da não violência e da cultura de paz. O livro “Autobiografia - Minha Vida e Minhas Experiências com a Verdade”, que a Palas Athena Editora relança em outubro com o apoio financeiro do Ministério da Cultura do Governo da Índia, narra a saga empreendida pelo grande líder indiano, na construção diária desses e de outros conceitos que fundamentam seu pensamento. É surpreendente acompanhar, na voz do próprio Gandhi, todas as dificuldades que enfrentou em sua luta de 40 anos pela independência da Índia. Ele não se furta a confessar seus tropeços, a expor suas fragilidades, envolvendo o leitor nessa fascinante aventura em busca da verdade, em que a coerência entre discurso e ação aparece como principal valor. Mestre dos paradoxos, Gandhi evitava as conclusões simplistas, os reducionismos excludentes, o senso comum que atende oportunismos sem medir consequências. Página por página, o tímido e franzino adolescente Mohandas Gandhi vai acolhendo diferentes visões de mundo, revelando suas perplexidades, vivenciando as variadas experiências intelectuais e religiosas até se transformar no Mahatma Gandhi, o porta-voz daqueles que nunca são ouvidos e, mais tarde, num dos maiores líderes da humanidade. Gandhi nos ensina que é na experiência pessoal que a ética se revela poderosa e transformadora, que é nos desafios cotidianos onde são testadas nossas convicções e nosso caráter. A inspiração que nos legou Gandhi abriu novos horizontes na compreensão do que seja a Paz, convidando-nos a resistir ao círculo vicioso da vingança, a compreender e acolher os diferentes, a criar espaços para o entendimento mútuo e a promover modos de vida que não alimentem o sofrimento.
  • Enquanto seu marido cumpria uma sentença de prisão perpétua, paradoxalmente mantida em segurança e moralmente não contaminada, Winnie Mandela enfrentou a violência bruta do apartheid, lutando na linha de frente e onde ninguém via. Esta é a história não contada das forças misteriosas que se juntaram para derrubá-la, rotulando Mandela como um santo, e ela, uma pecadora.
  • O livro oferece preciosos ensinamentos e orientações para que se possa exercer a cidadania com responsabilidade e eficácia. Advocacy é uma estratégia amplamente utilizada em muitos lugares do mundo, em especial nos Estados Unidos e em países da Europa. É um caminho eficaz para influenciar políticas e ações governamentais, empresariais e de instituições da sociedade civil, visando combater as desigualdades e promovendo os direitos humanos.
  • Bela Baderna Edição nacional do já clássico Beautiful Trouble – A toolbox for revolution. Malcolm X, Banksy, Gandhi, Occupy Wall Street, Flash Mob, Greve Geral, Movimento Passe Livre: a sabedoria acumulada de décadas de protesto criativo está agora nas mãos da próxima geração de ativistas, graças a Bela Baderna – Ferramentas para revolução. Organizada por Andrew Boyd e Dave Oswald Mitchell, essa edição pocket reúne, em 168 páginas, Princípios, Teorias e Táticas que servirão para iluminar as ideias dos baderneiros brasileiros. Literalmente para colocar no bolso e ir pra rua! Com Prefácio Brasileiro assinado pela socióloga, jornalista e ativista política Marília Moschkovich, a edição nacional conta com tradução, revisão e co-editoria da Escola de Ativismo. Além disso, traz três Estudos de Caso inéditos, exclusivos do Brasil: Jornadas de Junho (Revogação do aumento das tarifas de transporte público em São Paulo), Pimp my Carroça eMarãiwatsédé: a terra é dos Xavante. Sofisticado o bastante para ativistas veteranos e suficientemente acessível para os novatos, Bela Baderna mostra as sinergias entre imaginação artística e estratégia política afiada. Se você também quer um mundo mais belo, mais justo e mais habitável − e quer saber como fazer isso acontecer −, este livro é pra você.
  • Como a luta não-violenta funciona é uma introdução solidamente embasada ao conceito e à prática da luta não-violenta, a suas operações e ao modo como ela pode ser usada contra oponentes organizados e capazes de impor uma dura repressão. O livro apresenta, de um modo acessível, conciso e compreensível, as principais teses do tratado maior do Dr. Sharp The Politics of Nonviolent Action, e será de especial interesse para estudantes e ativistas.   Autolibertação é um guia para o planejamento estratégico de ações cujo objetivo seja acabar com uma ditadura ou outra forma de opressão. Ele foi escrito para auxiliar aqueles que desejam esboçar uma estratégia abrangente que tenha por fim a própria libertação de um regime tirânico e a instalação de um sistema mais livre e democrático.
  • Não é por acaso que, mais de setenta anos depois de sua primeira edição, depois de mais de 50 milhões de exemplares vendidos, Como fazer amigos e influenciar pessoas segue sendo um livro inovador, e uma das principais referências do mundo sobre relacionamentos, seja no âmbito profissional ou pessoal. Os conselhos, métodos e as ideias de Dale Carnegie já beneficiaram milhões de pessoas, e permanecem completamente atuais. Carnegie fornece, nesse livro, técnicas e métodos, de maneira extremamente direta, para que qualquer pessoa alcance seus objetivos pessoais e profissionais. Esta nova edição contém o texto integral, com um novo design, em formato compacto.
  • Manual prático e didático que apresenta metodologia criada pelo autor, voltada para aprimorar os relacionamentos interpessoais e diminuir a violência no mundo. Aplicável em centenas de situações que exigem clareza na comunicação: em fábricas, escolas, comunidades carentes e até em graves conflitos políticos.
  • Em Dar e receber, Adam Grant, pesquisador e professor da Wharton School, reúne suas conclusões sobre os motivos pelos quais algumas pessoas chegam ao topo da escala de sucesso, enquanto outras permanecem na mediocridade. Ele explica que, nas interações profissionais, podemos atuar como tomadores, compensadores ou doadores. Os tomadores se esforçam para extrair o máximo possível dos outros; os compensadores se empenham em promover trocas equilibradas; e os doadores são aquele tipo raro de indivíduo que ajuda os outros sem esperar nada em troca. Com base em seus estudos pioneiros, Grant revela que, ao contrário do que muitos pensam, as pessoas mais bem-sucedidas nas mais variadas carreiras não são as mais egoístas e implacáveis nem as que agem com base no “toma lá dá cá”. Os que chegam mais longe são os doadores. Por outro lado, ao examinar a base da escala de sucesso, o autor constatou que os doadores também estão entre os menos bem-sucedidos. Um dos objetivos deste livro é diferenciar os dois tipos de doador e mostrar o que podemos fazer para pôr em prática as estratégias dos vencedores. Combinando conclusões de pesquisas recentes com histórias de personalidades cativantes, este livro conta como o dono da maior rede de contatos do mundo, segundo a Fortune, desenvolveu suas conexões; por que o gênio criativo por trás de um dos programas de TV mais populares trabalhou durante anos no anonimato; como identificar um tomador apenas analisando seu perfil no Facebook; e de que forma poderíamos ter previsto a falência da Enron quatro anos antes do colapso da empresa – isso sem sequer estudar seus números. Aclamado pela crítica e elogiado por cientistas sociais, teóricos de negócios e líderes empresariais, Adam Grant mostra o que os doadores bem-sucedidos fazem de diferente em cinco áreas-chave – networking, colaboração, influência, negociação e liderança – e o que os tomadores e os compensadores podem aprender com os métodos deles.
  • Depois do resultado de uma eleição conturbada no Zimbábue, inimigos políticos têm de trabalhar juntos para redigir a nova constituição do país.
  • Se você se sente sobrecarregado e ao mesmo tempo subutilizado, ocupado, mas pouco produtivo, e se o seu tempo parece servir apenas aos interesses dos outros, você precisa conhecer o essencialismo. O essencialismo é mais do que uma estratégia de gestão de tempo ou uma técnica de produtividade. Trata-se de um método para identificar o que é vital e eliminar todo o resto, para que possamos dar a maior contribuição possível àquilo que realmente importa. Quando tentamos fazer tudo e ter tudo, realizamos concessões que nos afastam da nossa meta. Se não decidimos onde devemos concentrar nosso tempo e nossa energia, outras pessoas – chefes, colegas, clientes e até a família – decidem por nós, e logo perdemos de vista tudo o que é significativo. Neste livro, Greg McKeown mostra que, para equilibrar trabalho e vida pessoal, não basta recusar solicitações aleatoriamente: é preciso eliminar o que não é essencial e se livrar de desperdícios de tempo. Devemos aprender a reduzir, simplificar e manter o foco em nossos objetivos. Quando realizamos tarefas que não aproveitam nossos talentos e assumimos compromissos só para agradar aos outros, abrimos mão do nosso poder de escolha. O essencialista toma as próprias decisões – e só entra em ação se puder fazer a diferença.
  • Um livro que destrói mitos apresentando fatos e estatísticas de forma clara e divertida. Altamente recomendado por Bill Gates. Que porcentagem da população mundial vive na pobreza? Qual é o número de crianças vacinadas no mundo hoje? Quantas meninas terminam a escola?Quando confrontadas com perguntas simples a respeito das tendências globais, as pessoas sistematicamente dão respostas incorretas. Isso acontece quando nos preocupamos com tudo o tempo todo em vez de compreendermos as coisas como realmente são, e perdemos a capacidade de nos concentrar nas verdadeiras ameaças.Tomando emprestado o conceito de mindfulness (o ato de ter atenção plena nas experiências, atividades e sensações do presente), os autores propõem a ideia de factfulness: o hábito libertador de só ter opiniões baseadas em fatos.Inspirador, bem-humorado e cheio de histórias emocionantes, Factfulness é um livro urgente e essencial que mudará a maneira como você vê o mundo e o capacitará a responder melhor às crises e oportunidades do futuro.
  • Os acontecimentos mais importantes da vida de Mohandas Gandhi, o líder indiano que enfrentou o domínio britânico sobre seu país. Dedicado ao conceito de resistência não-violenta, ele é inicialmente rejeitado por autoridades inglesas, incluindo o influente Lorde Irwin, mas suas causas acabam se tornando reconhecidas internacionalmente e seus protestos levam a Índia a conquistar sua independência.
  • Você já ouviu falar em holacracia? Pode ser que não, mas certamente muitas de suas insatisfações no trabalho seriam solucionadas se sua empresa adotasse esse novo sistema de gestão. Mas o que é ele? E como implementá-lo? Criado por Brian J. Robertson - ele mesmo um eterno insatisfeito com todos os problemas do velho sistema hierárquico, o modelo de holacracia permite que cada pessoa da empresa seja transformada em um líder, o que garante uma enorme agilidade e flexibilidade na tomada de decisões. Com ela, a empresa muda a si mesma no dia a dia, reagindo naturalmente a um mercado em constante transformação. Acha que isso parece o caos? É bem o oposto. A holacracia é um sistema altamente estruturado que dá o poder de decisão às pessoas de acordo com o trabalho que estão realizando (seus papéis), e não conforme os títulos que têm (seus cargos). O resultado é: comunicação eficiente; reuniões eficazes; menos burocracia; menos obstáculos; e uma definição clara de quem é responsável pelo quê. Este livro, considerado a bíblia do assunto, mostra tudo que há de errado no modelo da hierarquia e oferece a você as ferramentas necessárias para reestruturar sua organização segundo a holacracia. Você passará a trabalhar numa empresa muito mais ágil, focada e inovadora, e certamente se sentirá muito melhor nesse novo ambiente. A época daquele CEO heroico que podia prever e solucionar todos os problemas de uma empresa já passou se é que um dia existiu!
  • Joshua: Teenager vs. Superpower é um documentário de 2017 sobre Joshua Wong, um adolescente que reuniu jovens de Hong Kong em dissensão durante o Movimento de Ocupação de Hong Kong de 2014, quando o Partido Comunista Chinês renegou sua promessa de autonomia para o território.
  • Qual é a imagem que lhe vem à cabeça quando se fala de um lobista? No cenário político nacional, caracterizado por excessiva polarização, pouco diálogo e muita desinformação, esta obra contribui para a análise e compreensão do lobby em suas diferentes perspectivas. Entender o papel das relações governamentais no contexto brasileiro atual, seus desafios, melhores práticas e sua relação com a corrupção é um dos objetivos deste livro. Para além desse mérito, adquire foco prático ao expor modelos de regulação da atividade, a serem estabelecidos em pilares éticos, legais e eficientes, cujo conteúdo atenda aos anseios de quem pretende influenciar políticas públicas em conformidade com o interesse público.
  • O livro traz uma interpretação diferente, ou melhor, inédita, sobre o lobby: para o autor, o novo lobby tem como ator principal o cidadão comum, a quem batiza de 'cidadão stakeholder'. Por meio das tecnologias digitais, esse cidadão pode ele próprio ser lobista e representar seus interesses junto àqueles que elegeu, assim como pressionar organizações e empresas ao redor do mundo, deixando de ser apenas espectador para tornar-se ator ativo na definição e na decisão de políticas públicas.
  • Entre os objetivos primeiros deste livro destacam-se a demarcação das fronteiras entre os interesses sociais organizados e as políticas públicas que, por definição, deveriam convergir para o bem comum e para a organização harmoniosa do espaço público. Partindo principalmente dos campos da ciência política, da sociologia e do direito, a obra, que requer paciente leitura pela sua densidade acadêmica, cumpre esse objetivo de forma primorosa.

Title

Go to Top